CASO FIJI: comerciante do Paraná acionou Bueno na Justiça em 2022 para resgatar quase R$ 1 milhão em investimentos; parte do valor é fruto de empréstimos

Foi somente no mês de março deste ano que a empresa Fiji Solutions, que atua no marcado de criptomoedas, entrou no radar do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e tornou-se alvo de ações judiciais de consumidores e clientes do estado. Eles sentem lesados com o fim de repasses referentes ao aluguel de criptoativos. Mas, buscas na internet revelam que ações judiciais, envolvendo o fundador da empresa, Bueno Aires, são mais antigas.

Na tarde desta quarta-feira (25), a reportagem do Polêmica Paraíba teve acesso a uma ação movida por um comerciante do Paraná contra o dono da Fiji, em que pede a devolução de quase R$ 1 milhão transferidos para contas ligadas a Bueno. O objetivo era a obtenção de lucros através de transações de trade – compra e venda de criptomoedas, mas o que ele obteve, segundo a ação, foram prejuízos.

De acordo coma a ação movida pelo comerciante Fladlo Torres Zaim, o investimento foi feito a partir de “pequenos aportes em dinheiro, a fim de testar a suposta tecnologia”. Parte dos recursos é resultado de economias construídas ao longo do tempo, e outra parte oriunda de empréstimos feitos em nome da mãe de Zaim, que confiou na tecnologia apresentada por Bueno.

No polo passivo da ação constam, além de Bueno, as empresas Softbank Desenvolvimento de Softwares e E Soft Holding Participações LTDA, em tese, que operam a tecnologia responsável pelas transações de compra e venda de criptomoeadas, e Leonardo Augusto Belmonte Zaim, que seria sócio de Bueno na época.

“Com o passar o tempo, por volta da metade de agosto de 2019, os sócios da empresa, os Requeridos Leonardo e Bueno Aires, vieram até a cidade de Maringá, com o objetivo de apresentar a plataforma/robô/tecnologia, que operava dentro do mercado financeiro de criptomoeda, ocasião em que o Autor, durante a apresentação enfatizou que não existiria riscos de perda do capital”, diz o autor da ação.

Prejuízos

De acordo com a ação, em um primeiro momento foram investidos R$ 286 mil, e depois mais R$ 638.017,00, em contas ligadas a Bueno Aires, e de seu sócio na época, resultado em quase R$ 1 milhão em investimentos. “Veja excelência a soma do valor investido pelo autor perfaz o montante de R$ 924.017,00 (novecentos e vinte e quatro mil e dezessete), sendo este o valor do golpe praticado contra o autor, que amarga até o momento tais prejuízos”, diz trecho da ação.

O autor da ação alega ter sido informado, em meados de 2020, que os valores investidos haviam sido bloqueados por uma corretora de investimentos, sem que o fato nunca tenha sido comprovado por Bueno. “No decorrer do tempo, diversos problemas foram surgindo, inclusive mesmo após o autor ter convencido vários amigos a participarem da oferta proposta pelos requeridos, tais como o atraso da rentabilidade diária prometida pelos Requeridos. Depois, ocorreu o fato da retirada do capital demorar mais do que o esperado, e ainda, de a rentabilidade deixar de ser diária e passar a ser demonstrada semanalmente”, disse.

Pedidos à Justiça

Na ação, Fladlo Torres Zaim pede a condenação de Bueno e dos demais envolvidos à devolução dos valores desembolsados, no montante de R$ 924.017,00 (novecentos e vinte e quatro mil e dezessete reais), acrescidos de juros de mora de 1% (um por cento) ao mês, a contar da citação, e correção monetária do valor.

O comerciante também pede a inclusão de restrição de alienação de veículos de propriedade dos réus e a indisponibilidade de bens dos envolvidos. A ação é assinada pelo advogado Maurício de Carvalho Silva. A reportagem não conseguiu ter acesso ao andamento do processo.

CASO FIJI

Fundada em agosto de 2021, a Fiji Solutions, gestora de criptoativos, que tem Bueno como um dos sócios, tem causado repercussão em todo o país.  A empresa trabalhava prometia pagamentos mensais fixos, assim como Braiscompany, outra empresa paraibana que também é alvo da Justiça.

Ainda no mês de março, a Fiji recebeu uma recomendação do MPPB para fazer os pagamentos aos clientes em até 72 horas, prazo que se esgotou no dia 20. As reclamações tiveram início no dia 10 do mês passado. Depois, a Fiji informou ao MP que iniciaria os pagamentos aos clientes o dia 23 do mesmo mês, previsão que também não se concretizou.

O MP solicitou o bloqueio do patrimônio da empresa e bens pessoais dos três sócios, incluindo imóveis, automóveis, aplicações e valores localizados em instituições financeiras. O órgão também sugeriu multa diária de R$ 100 mil e condenação no valor de R$ 5 milhões.

Já no início de abril, a pedido da Polícia Federal, o juiz da 4ª Vara Federal de Campina Grande, Vinicius Costa Vidor, determinou a apreensão dos passaportes dos donos da empresa, levando em conta indícios de pirâmide financeira.

O magistrado determinou, também, o recolhimento dos passaportes, em um prazo de 24 horas, dos sócios da empresa. Há processos tramitando tanto na esfera cível quanto criminal.

O OUTRO LADO

Em nota, a defesa de Bueno Aires, destacou que “não houve a formalização de qualquer citação ou intimação relacionada à suposta demanda judicial”. Os advogados do empresário ressaltam que será apresentada, “a cabivel defesa nos autos do processo”, onde a verdade será apresentada.

Abaixo, confira a nota na íntegra:

WhatsApp Image 2023 04 25 at 20.26.36 - CASO FIJI: comerciante do Paraná acionou Bueno na Justiça em 2022 para resgatar quase R$ 1 milhão em investimentos; parte do valor é fruto de empréstimos

Mais Lidas

Destaques

PELO SIM, PELO NÃO

DESTAQUES: Romero recebe proposta dos Cunha Lima; Nilvan Ferreira ganha apoio de João Gonçalves; e Kassab, do PSD, quer Eva Gouveia como candidata a prefeita 19 de julho de 2024 DESTAQUES: Romero recebe proposta dos Cunha Lima; Nilvan Ferreira ganha apoio de João Gonçalves; e Kassab, do PSD, quer Eva Gouveia como candidata a prefeita DESTAQUES: Duas datas importantes para o futuro de Romero; Instituto crava que na PB só terá 2º turno em JP; e Efraim denuncia prefeito de Santa Luzia por demolir monumento  18 de julho de 2024 DESTAQUES: Duas datas importantes para o futuro de Romero; Instituto crava que na PB só terá 2º turno em JP; e Efraim denuncia prefeito de Santa Luzia por demolir monumento  DESTAQUES: Direção de um partido destituiu o diretório de um candidato líder nas pesquisas; Pedrito anuncia apoio a Nilvan; e Lula pode pedir a Veneziano para apoiar Cartaxo 17 de julho de 2024 DESTAQUES: Direção de um partido destituiu o diretório de um candidato líder nas pesquisas; Pedrito anuncia apoio a Nilvan; e Lula pode pedir a Veneziano para apoiar Cartaxo DESTAQUES: Quem deve ser vice de Jackson e Nilvan?; Quais partidos podem compor a chapa de Romero?; e Amanda Rodrigues encontra Márcia, ex-prefeita do Conde 16 de julho de 2024 DESTAQUES: Quem deve ser vice de Jackson e Nilvan?; Quais partidos podem compor a chapa de Romero?; e Amanda Rodrigues encontra Márcia, ex-prefeita do Conde DESTAQUES: Prefeito de Queimadas vai escolher entre 2 parentes o candidato da sucessão; Ana Paula deu sua versão da ‘’rachadinha’’; e Bueno Aires foi visto em Gurjão fazendo política 12 de julho de 2024 DESTAQUES: Prefeito de Queimadas vai escolher entre 2 parentes o candidato da sucessão; Ana Paula deu sua versão da ‘’rachadinha’’; e Bueno Aires foi visto em Gurjão fazendo política

Está no Hype

Go to Top