Lula herda 92% dos votos de Simone Tebet, mas eleitores de Ciro se dividem, revela PoderData

Até 46% dizem preferir o petista entre o eleitorado de Ciro Gomes. O PoderData também mostra Lula na frente, com 52% dos votos válidos. “Segundo turno vai exigir mobilização política e convencimento do eleitor”, destaca cientista político

São Paulo – Pesquisa PoderData, divulgada nesta quinta-feira (6), mostra que quase a totalidade dos eleitores de Simone Tebet (MDB) votam no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) neste segundo turno. O petista herdaria 92% dos votos válidos no próximo dia 30, após a emedebista anunciar, ontem, apoio a Lula. Por outro lado, entre os eleitores do ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) apenas 46% dizem preferir Lula. E 54% falam em votar em seu adversário, o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL).

O placar é referente aos votos válidos, quando são excluídos os votos em branco e nulos. A pesquisa foi realizada pelo PoderData, com recursos do site Poder360, por meio de ligações para telefone celulares e fixos com 3.500 pessoas de 301 municípios nas 25 unidades da federação. As entrevistas ocorreram entre segunda (3) e ontem (5). E a margem de erro é de 1,8 ponto percentual, para um intervalo de confiança de 95%.

Apoios e votos

Esse é o primeiro levantamento do instituto sobre a migração de votos após a realização do primeiro turno no último domingo (2). O resultado confirma, contudo, a análise do cientista político Vitor Marchetti, professor da Universidade Federal do ABC (UFABC) que, em entrevista à edição desta quinta do Jornal Brasil Atual, advertiu não ser possível achar necessariamente que “esses apoios se traduzem em acompanhamento dos eleitores”.

É o caso dos eleitores do pedetista que, apesar de ter anunciando um apoio “crítico”,  acompanhou a decisão de seu partido de defender a eleição do ex-presidente Lula. No entanto, a pesquisa mostra que ainda não há respaldo entre os eleitores de Ciro ao petista, como há entre os eleitores de Simone Tebet. De acordo com Marchetti,  este segundo turno “vai exigir muita mobilização política e convencimento do eleitor” por parte da campanha do PT. “Ainda precisará trazer esse eleitor, porque parte deles estavam naquela lógica de ‘nem-nem’”, destaca.

Lula larga na frente com 52%

Para Marchetti, porém, Lula já deu passos mais significativos nessa largada ao garantir mais de 10 partidos aliados e sua campanha de segundo turno começa mais “robusta” do que a de Bolsonaro. O presidente conta com apoios esperados de 4 legendas e a adesão de 7 dos 15 governadores eleitores no 1º turno. Entre os ex-presidenciáveis, apenas o autodeclarado Padre Kelmon (PTB), que terminou a disputa em sétimo, com pouco mais de 81 mil votos, indicou alinhamento ao candidato à reeleição.

Simone Tebet, por sua vez, que declarou apoio engajado a Lula, ficou em terceiro lugar, com 4,9 milhões de votos. Já Ciro Gomes alcançou 3,6 milhões de eleitores. Além disso, o levantamento do PoderData também indica que Lula sai na frente neste segundo turno, com 52% dos votos válidos, contra 48% de Bolsonaro. Considerando os votos em branco e nulos, o ex-presidente tem 48%, contra 44% do atual. Brancos e nulos somaram 6% na pesquisa e indecisos, 2%.

O cientista político conclui que Lula terá como desafio consolidar esse eleitor indeciso que, segundo ele, parece estar concentrado nas grandes cidades, em especial em São Paulo. “Me parece que os desafios colocados são esses: consolidar as regiões metropolitanas, trazer o eleitor nem-nem (que disse nem Lula e nem Bolsonaro) e, no interior, desmontar fake news e abrir diálogo com alguns setores importantes de mobilização na região”, aponta Vitor Marchetti.

Apoios e votos

Esse é o primeiro levantamento do instituto sobre a migração de votos após a realização do primeiro turno no último domingo (2). O resultado confirma, contudo, a análise do cientista político Vitor Marchetti, professor da Universidade Federal do ABC (UFABC) que, em entrevista à edição desta quinta do Jornal Brasil Atual, advertiu não ser possível achar necessariamente que “esses apoios se traduzem em acompanhamento dos eleitores”.

É o caso dos eleitores do pedetista que, apesar de ter anunciando um apoio “crítico”,  acompanhou a decisão de seu partido de defender a eleição do ex-presidente Lula. No entanto, a pesquisa mostra que ainda não há respaldo entre os eleitores de Ciro ao petista, como há entre os eleitores de Simone Tebet. De acordo com Marchetti,  este segundo turno “vai exigir muita mobilização política e convencimento do eleitor” por parte da campanha do PT. “Ainda precisará trazer esse eleitor, porque parte deles estavam naquela lógica de ‘nem-nem’”, destaca.

Lula larga na frente com 52%

Para Marchetti, porém, Lula já deu passos mais significativos nessa largada ao garantir mais de 10 partidos aliados e sua campanha de segundo turno começa mais “robusta” do que a de Bolsonaro. O presidente conta com apoios esperados de 4 legendas e a adesão de 7 dos 15 governadores eleitores no 1º turno. Entre os ex-presidenciáveis, apenas o autodeclarado Padre Kelmon (PTB), que terminou a disputa em sétimo, com pouco mais de 81 mil votos, indicou alinhamento ao candidato à reeleição.

Simone Tebet, por sua vez, que declarou apoio engajado a Lula, ficou em terceiro lugar, com 4,9 milhões de votos. Já Ciro Gomes alcançou 3,6 milhões de eleitores. Além disso, o levantamento do PoderData também indica que Lula sai na frente neste segundo turno, com 52% dos votos válidos, contra 48% de Bolsonaro. Considerando os votos em branco e nulos, o ex-presidente tem 48%, contra 44% do atual. Brancos e nulos somaram 6% na pesquisa e indecisos, 2%.

O cientista político conclui que Lula terá como desafio consolidar esse eleitor indeciso que, segundo ele, parece estar concentrado nas grandes cidades, em especial em São Paulo. “Me parece que os desafios colocados são esses: consolidar as regiões metropolitanas, trazer o eleitor nem-nem (que disse nem Lula e nem Bolsonaro) e, no interior, desmontar fake news e abrir diálogo com alguns setores importantes de mobilização na região”, aponta Vitor Marchetti.

Mais Lidas

Destaques

PELO SIM, PELO NÃO

DESTAQUES: TRF-5 julgou o caso Cícero Lucena; Bruno Cunha Lima conseguiu vitória na Justiça; e operação ‘’Fundo do Poço’’ mira o antigo PROS, hoje Solidariedade 12 de junho de 2024 DESTAQUES: TRF-5 julgou o caso Cícero Lucena; Bruno Cunha Lima conseguiu vitória na Justiça; e operação ‘’Fundo do Poço’’ mira o antigo PROS, hoje Solidariedade DESTAQUES: Vereadores de JP estão envolvidos na Operação Mandare; Operação livro aberto chegou nos deputados; e Republicanos não deve aceitar “meia secretaria de educação’’ 11 de junho de 2024 DESTAQUES: Vereadores de JP estão envolvidos na Operação Mandare; Operação livro aberto chegou nos deputados; e Republicanos não deve aceitar "meia secretaria de educação’’ DESTAQUES: Quais nomes podem assumir as secretarias do Governo; Cartaxo deve ser o candidato do PT em JP; e Renata Nóbrega pode voltar para Secretaria de Saúde 10 de junho de 2024 DESTAQUES: Quais nomes podem assumir as secretarias do Governo; Cartaxo deve ser o candidato do PT em JP; e Renata Nóbrega pode voltar para Secretaria de Saúde DESTAQUES: Em 2026, a ALPB vai eleger um governador de forma indireta; Nominando vai ser o prefeito de JP por oito dias; e CMJP tem uma oposição definida e um novo líder 7 de junho de 2024 DESTAQUES: Em 2026, a ALPB vai eleger um governador de forma indireta; Nominando vai ser o prefeito de JP por oito dias; e CMJP tem uma oposição definida e um novo líder DESTAQUES: Quais nomes devem assumir as secretarias do governo; Republicanos vai exigir a vaga de vice de Jhony em CG; e Antônio Roberto revela qual seu destino 6 de junho de 2024 DESTAQUES: Quais nomes devem assumir as secretarias do governo; Republicanos vai exigir a vaga de vice de Jhony em CG; e Antônio Roberto revela qual seu destino

Está no Hype

Go to Top