Povo ou massa? – Por Rui Leitão

Nem sempre percebemos a diferença entre “ser massa” e “ser povo”. A massa é anônima, manipulável, vulnerável. O povo tem identidade, consciência de sua cidadania. A massa costuma obedecer sem questionar, não tem domínio de suas vontades, fica na espera de quem a conduza. O povo reage, protesta, não se submete ao arbítrio, ao simples poder de mando. O povo raciocina, a massa não.

Há uma manifestação do Papa Pio XII que distingue bem o que seja massa e o que seja povo: “O povo vive e se move com vida própria – A massa é por si mesma inerte, e não pode receber movimento senão de fora. O povo vive da plenitude da vida dos homens que o compõem, cada um dos quais em seu próprio posto e à sua maneira, é pessoa consciente de suas próprias responsabilidades e suas próprias convicções. A massa pelo contrário espera impulso de fora”.

Na massa não existe ideal de liberdade e igualdade. Se torna joguete fácil nas mãos de exploradores. Por isso, se torna inimiga da democracia. Age movida por instintos e impressões, nunca por avaliações críticas da realidade. Os indivíduos que compõem a massa não têm a preocupação em alcançar a autonomia no pensar e no agir. São facilmente influenciados pelos demagogos e propagandistas.

Não falta razão, portanto, para que os marqueteiros sejam os profissionais mais importantes numa eleição. Porque são especialistas em persuadir, manobrar, elaborar uma opinião pública que atenda suas ambições. A massa é presa das emoções, dos medos, da acomodação, dos sectários, onde as opiniões se perdem na ilusão de que deve prevalecer o pensamento de uma falsa maioria estrategicamente construída.

O povo é uma concepção unitária. Tomás de Aquino afirmava que: “povo não é qualquer reunião de homens de qualquer modo, mas é a reunião de uma multidão ao redor do consenso do direito e dos interesses comuns”. O povo é formado por cidadãos ativos, com visão própria do seu país e de suas necessidades. O povo consegue distinguir o que seja política e o que seja politicagem. Rejeita o fisiologismo, a unilateralidade, a parcialidade, a má fé, o suborno e o tráfico de influência. Muitas das decisões são tomadas, no entanto, por impulso comportamental das massas, descomprometidas com a verdade, com a justiça social, com a integridade, com a governabilidade e o bem estar social. O povo, então, se torna refém de um projeto político distante dos seus interesses, fazendo triunfar a vontade de uma massa conduzida por agentes externos, e só algum tempo depois, percebe que “deu um tiro no pé”.

Mais Lidas

Destaques

PELO SIM, PELO NÃO

DESTAQUES: Hugo Motta enfrenta ‘cobra’ que morde o Republicanos; Pollyanna tem sido o grande diferencial no governo João; e Sargento Neto diz que oposição pode pular para 17 deputados 24 de abril de 2024 DESTAQUES: Hugo Motta enfrenta 'cobra' que morde o Republicanos; Pollyanna tem sido o grande diferencial no governo João; e Sargento Neto diz que oposição pode pular para 17 deputados DESTAQUES: Em Cajazeiras, a briga será entre 3 deputados; PSB realiza festa na Priscylla’s Hall com candidatos a vereador; na UFPB, Terezinha vai ser a primeira colocada?! 23 de abril de 2024 DESTAQUES: Em Cajazeiras, a briga será entre 3 deputados; PSB realiza festa na Priscylla's Hall com candidatos a vereador; na UFPB, Terezinha vai ser a primeira colocada?! NESTA TERÇA: PSB apresenta time de candidatos a vereadores em João Pessoa 22 de abril de 2024 NESTA TERÇA: PSB apresenta time de candidatos a vereadores em João Pessoa DESTAQUES: Pastor Sérgio decidiu ser vice em JP; Nilvan recebeu visita do prefeito Vitor Hugo; e governador diz que Daniela tem todo direito de tocar sua candidatura em 2026 22 de abril de 2024 DESTAQUES: Pastor Sérgio decidiu ser vice em JP; Nilvan recebeu visita do prefeito Vitor Hugo; e governador diz que Daniela tem todo direito de tocar sua candidatura em 2026 DESTAQUES: A imprensa é culpada no caso do Pastor Sérgio e na possível demissão do secretário do governo?; Em Guarabira, Léa vai enfrentar Raniery; na cidade de Patos, executivos e secretários tem aumento de 70%  19 de abril de 2024 DESTAQUES: A imprensa é culpada no caso do Pastor Sérgio e na possível demissão do secretário do governo?; Em Guarabira, Léa vai enfrentar Raniery; na cidade de Patos, executivos e secretários tem aumento de 70% 

Está no Hype

Go to Top