Mercado competitivo
Presidente da Colômbia quer plantio de maconha legalizado ‘como milho e batata’

Gustavo Petro o recém-empossado presidente da Colômbia, deixou claro que acabar com a guerra às drogas será uma prioridade de seu governo. Petro falou sobre ter o plantio de maconha legalizado ‘como milho e batata’, acrescentando que é hora de pensar seriamente em libertar pessoas que estão atualmente encarceradas por porte da planta.

Ele até destacou o mesmo em seu discurso de posse dizendo: “É hora de uma nova convenção internacional que aceite que a guerra às drogas falhou, que deixou um milhão de latino-americanos assassinados durante esses 40 anos e que deixa 70 mil americanos mortos por overdose de drogas a cada ano.” Como ex-membro do grupo guerrilheiro M-19, Petro conhece bem a violência, inclusive por drogas.

Potencial da indústria de cannabis 

Na semana passada, Petro enfatizou o potencial econômico de uma indústria de cannabis totalmente legal – e em um movimento revolucionário raramente visto em nível federal – propôs remover a exigência de ter uma licença para empresas domésticas de cannabis.

Ele falou sobre o potencial econômico de uma indústria legal de cannabis, onde pequenas cidades em lugares como os Andes, Corinto e Miranda poderiam se beneficiar do cultivo legal de maconha, possivelmente sem nenhum requisito de licenciamento. Ele também sinalizou que estaria interessado em explorar a ideia de exportar cannabis para outros países onde a planta é legal.

“O que acontece se a cannabis for legalizada na Colômbia sem licenças?”, Petro, o primeiro presidente de esquerda do país, disse em discurso. “Como semear milho, como semear batatas.”

“Vamos ver se [a cannabis pode ser] exportada e ganharemos alguns dólares porque metade da humanidade [a legalizou]”, disse ele, exagerando um pouco o atual cenário internacional de políticas de cannabis.

Petro disse que gostaria que a Colômbia se tornasse um mercado competitivo de cannabis, comparando-o à indústria legal do Canadá. Ele também fez referência aos EUA, onde a maconha pode permanecer proibida pelo governo federal, mas a maioria dos estados a permite de alguma forma e tomou medidas de equidade para parar de prender as pessoas pela planta.

“Se vamos legalizar a cannabis, vamos manter todas essas pessoas presas em prisões superlotadas, ou chegou a hora de libertar muitas pessoas das prisões simplesmente porque foram criminalizadas por algo que é legal em grande parte dos Estados Unidos, ” ele disse.

Um projeto de legalização defendido pelo senador colombiano Gustavo Bolívar foi apresentado em julho, e o senador disse que a reforma está ao alcance agora que o Congresso do país tem uma maioria liberal de legisladores que se encaixam em uma coalizão política conhecida como Pacto Histórico.

“Já tínhamos apresentado na última legislatura [em 2020]. Conseguiu passar na primeira comissão, mas não colocaram no plenário porque justamente as diretorias tendem a manipular toda a agenda e nunca marcaram para a [sessão inteira] então afundou”, disse Bolívar, segundo Publimetro.

Em que ponto está a legalização na Colômbia?

O senador Gustavo Bolívar apresentou no mês passado uma nova legislação que tem boas chances de ser aprovada agora que o país tem uma maioria de legisladores liberais. A posição também foi reconhecida internacionalmente, inclusive pelo representante dos EUA Jim McGovern (D-MA), que disse estar ansioso para trabalhar em conjunto com um executivo com visão de futuro para “repensar a política de drogas”.

Como a cannabis não licenciada se encaixaria nos padrões internacionais?
Petro está sugerindo uma abordagem potencialmente radicalmente nova para a regulamentação da indústria de cannabis – ou seja, transformá-la em uma cultura regular de commodities – como soja e milho. Isso não significa que ele está sugerindo o cultivo da safra sem qualquer supervisão. Todas essas culturas alimentares devem cumprir os padrões internacionais em tudo, desde o uso de pesticidas até o tipo de solo em que são cultivadas – mesmo que não sejam vendidas como “orgânicas”.

Esta abordagem é verdadeiramente diferente do modelo que existe atualmente – graças em grande parte à abordagem adotada nos mercados médicos da Europa. Atualmente, a única cannabis com alto teor de THC que pode cruzar fronteiras internacionais é certificada pela GMP (grau médico, farmacêutico).

No entanto, o debate sobre isso está começando a ser ouvido em um espectro muito mais amplo de debate, dada a legalização pendente do uso recreativo na Alemanha. Pode ser que Petro esteja tentando se tornar o primeiro na fila para importar cannabis cultivada na Colômbia para o novo mercado recreativo na Alemanha.

Aconteça o que acontecer, porém, a Colômbia está agora na vanguarda de uma discussão internacional sobre regulamentação que, sem dúvida, terá um impacto no status quo. Globalmente.

Mais Lidas

Destaques

PELO SIM, PELO NÃO

<h6>Mercado competitivo</h6>DESTAQUES: Camilo Santana esteve na Paraíba e ninguém soube; Cássio pode ser candidato em CG?; e nomes dos vices estão em alta em BayeuxMercado competitivoPresidente da Colômbia quer plantio de maconha legalizado ‘como milho e batata’" class="rev-slidebg tp-rs-img" data-no-retina> 20 de maio de 2024 DESTAQUES: Camilo Santana esteve na Paraíba e ninguém soube; Cássio pode ser candidato em CG?; e nomes dos vices estão em alta em Bayeux <h6>Mercado competitivo</h6>DESTAQUES: Rusga entre Assembleia e o Governo do Estado; PT tem decisão importante na segunda-feira; e Inácio cansou de esperar por Romero em CGMercado competitivoPresidente da Colômbia quer plantio de maconha legalizado ‘como milho e batata’" class="rev-slidebg tp-rs-img" data-no-retina> 17 de maio de 2024 DESTAQUES: Rusga entre Assembleia e o Governo do Estado; PT tem decisão importante na segunda-feira; e Inácio cansou de esperar por Romero em CG <h6>Mercado competitivo</h6>DESTAQUES: Na reunião do PT, 90% defenderam candidatura própria; e representante da prefeitura acusa membro do governo no caso da poluição das praiasMercado competitivoPresidente da Colômbia quer plantio de maconha legalizado ‘como milho e batata’" class="rev-slidebg tp-rs-img" data-no-retina> 16 de maio de 2024 DESTAQUES: Na reunião do PT, 90% defenderam candidatura própria; e representante da prefeitura acusa membro do governo no caso da poluição das praias <h6>Mercado competitivo</h6>DESTAQUES: O candidato de João Azevêdo ao governo pode ser Hugo Motta; advogado João de Deus se filiou ao PSB em Cajazeiras; e Wilson Santiago voltou a titularidade na câmara dos deputadosMercado competitivoPresidente da Colômbia quer plantio de maconha legalizado ‘como milho e batata’" class="rev-slidebg tp-rs-img" data-no-retina> 9 de maio de 2024 DESTAQUES: O candidato de João Azevêdo ao governo pode ser Hugo Motta; advogado João de Deus se filiou ao PSB em Cajazeiras; e Wilson Santiago voltou a titularidade na câmara dos deputados <h6>Mercado competitivo</h6>DESTAQUES: Lula teria decidido por candidatura própria em João Pessoa e o escolhido foi Cartaxo; Romero não tem responsabilidade com Campina Grande?; e ALPB ‘desobriga’ presença de secretários de EducaçãoMercado competitivoPresidente da Colômbia quer plantio de maconha legalizado ‘como milho e batata’" class="rev-slidebg tp-rs-img" data-no-retina> 8 de maio de 2024 DESTAQUES: Lula teria decidido por candidatura própria em João Pessoa e o escolhido foi Cartaxo; Romero não tem responsabilidade com Campina Grande?; e ALPB ‘desobriga’ presença de secretários de Educação

Está no Hype

Go to Top