TSE retoma nesta quinta (29) julgamento que pode levar à inelegibilidade de Bolsonaro

 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retoma hoje (29) o julgamento que pode levar à inelegibilidade do ex-presidente Jair Bolsonaro por oito anos. A sessão está prevista para começar às 9h.

Será a terceira sessão destinada ao julgamento da causa. O tribunal julga a conduta de Bolsonaro durante reunião realizada com embaixadores, em julho do ano passado, no Palácio da Alvorada, para atacar o sistema eletrônico de votação. A legalidade do encontro foi questionada pelo PDT.

Até o momento, somente o relator da ação, ministro Benedito Gonçalves proferiu seu voto. Na sessão realizada na terça-feira (27), o ministro votou pela condenação de Bolsonaro à inelegibilidade, por entender que o ex-presidente cometeu abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação para difundir informações falsas e desacreditar o sistema de votação.

O relator também votou pela absolvição de Braga Netto, candidato a vice-presidente na chapa de Bolsonaro nas eleições de 2022. Para o ministro, ele não participou da reunião e não tem relação com os fatos.

O julgamento será retomado com a manifestação dos ministros Raul Araújo, Floriano de Azevedo Marques, André Ramos Tavares, Cármen Lúcia, Nunes Marques e o presidente do Tribunal, Alexandre de Moraes.

Caso algum ministro faça pedido de vista para suspender a sessão, o prazo de devolução do processo para julgamento é de 30 dias, renovável por mais 30. Com o recesso de julho nos tribunais superiores, o prazo subirá para 90 dias.

2030
Pela legislação eleitoral, se Bolsonaro se tornar inelegível por oito anos, só poderá voltar a disputar as eleições em 2030.

De acordo com a Súmula 69 do TSE, a contagem do prazo começa na data do primeiro turno das eleições de 2022, realizado em 2 de outubro.

A inelegibilidade terminará no dia 2 de outubro de 2030, quatro dias antes do primeiro turno, previsto para 6 de outubro.

Recurso
Após eventual decisão desfavorável, a defesa de Bolsonaro poderá recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF). Três dos sete ministros do TSE também fazem parte do STF e participam do julgamento.

Pelas regras internas da Corte, os ministros que atuam no tribunal eleitoral não ficam impedidos automaticamente de julgar questões constitucionais em processos oriundos do TSE.

Mais Lidas

Destaques

PELO SIM, PELO NÃO

DESTAQUES: Prefeito de Queimadas vai escolher entre 2 parentes o candidato da sucessão; Ana Paula deu sua versão da ‘’rachadinha’’; e Bueno Aires foi visto em Gurjão fazendo política 12 de julho de 2024 DESTAQUES: Prefeito de Queimadas vai escolher entre 2 parentes o candidato da sucessão; Ana Paula deu sua versão da ‘’rachadinha’’; e Bueno Aires foi visto em Gurjão fazendo política DESTAQUES: Veja 3 sinais de que Romero será candidato; Caso de ‘rachadinha’ estoura em Monteiro; e Sara Cabral sofre mais uma derrota na Justiça 11 de julho de 2024 DESTAQUES: Veja 3 sinais de que Romero será candidato; Caso de 'rachadinha' estoura em Monteiro; e Sara Cabral sofre mais uma derrota na Justiça Republicanos vai apoiar Jhony se o PSB fechar com Nilvan; Lucena já tem chapas definidas; e candidatura do PT em Santa Rita está mantida 10 de julho de 2024 Republicanos vai apoiar Jhony se o PSB fechar com Nilvan; Lucena já tem chapas definidas; e candidatura do PT em Santa Rita está mantida DESTAQUES: Eva Gouveia não vota em Rosália; Republicanos desiste de Romero; e Cabo Gilberto aparece ao lado Milei e Bolsonaro 9 de julho de 2024 DESTAQUES: Eva Gouveia não vota em Rosália; Republicanos desiste de Romero; e Cabo Gilberto aparece ao lado Milei e Bolsonaro DESTAQUES: Pesquisa de Santa Rita aponta para mudança de candidato; Corrinha Delfino alega que foi vítima de golpe; e Queiroga opina sobre candidatos indo em bairros controlados por traficantes 8 de julho de 2024 DESTAQUES: Pesquisa de Santa Rita aponta para mudança de candidato; Corrinha Delfino alega que foi vítima de golpe; e Queiroga opina sobre candidatos indo em bairros controlados por traficantes

Está no Hype

Go to Top