Em convite inédito, TSE chama União Europeia e outros quatro organismos internacionais para observarem eleições de 2022

Convites foram debatidos entre Fachin e Carlos França; Presente nos pleitos de 2018 e 2020, OEA também foi convidada para participar como observadora

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) convidou a União Europeia, a Organização dos Estados Americanos (OEA), a Fundação Internacional para Sistemas Eleitorais (IFES), o Parlamento do Mercosul (Parlasul), a União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore) e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para acompanharem as eleições presidenciais de outubro como observadores internacionais.

Com a exceção da OEA, que monitorou as eleições brasileiras em 2018 e em 2020, todas as outras entidades foram conividadas pela Corte eleitoral pela primeira vez.

Segundo o TSE, todas as conversas estão em andamento e as organizações demonstraram interesse em participarem do pleito como observadoras. O GLOBO apurou que os convites para os organismos foram debatidos em um encontro, em março, entre o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, e o presidente da Corte, ministro Edson Fachin, ainda em março. Na conversa, Fachin manifestou a França preocupação com a segurança durante os dias de votação.

Os observadores internacionais são organizações estrangeiras que, ao final do processo, produzem relatórios com todas as informações colhidas durante os pleitos.

No início de fevereiro deste ano, a Missão de Observação Eleitoral da Organização dos Estados Americanos divulgou um relatório em que destacou o aumento da violência nas eleições de 2020, com alta de ocorrências contra candidatas e candidatos.  O documento foi entregue ao então presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, durante evento na sede da OEA, em Washington.

Em 2020, observadores internacionais da OEA acompanharam a realização dos dois turnos das eleições. A Missão considerou inaceitável o uso da violência e afirmou no relatório que “a rejeita enfaticamente em qualquer circunstância, especialmente na democracia”. O documento expressa preocupação pelo ambiente de medo e intimidação que impede eleitoras e eleitores, assim como candidatas e candidatos, de se envolverem na política.

Mais Lidas

Destaques

PELO SIM, PELO NÃO

DESTAQUES: Camilo Santana esteve na Paraíba e ninguém soube; Cássio pode ser candidato em CG?; e nomes dos vices estão em alta em Bayeux 20 de maio de 2024 DESTAQUES: Camilo Santana esteve na Paraíba e ninguém soube; Cássio pode ser candidato em CG?; e nomes dos vices estão em alta em Bayeux DESTAQUES: Rusga entre Assembleia e o Governo do Estado; PT tem decisão importante na segunda-feira; e Inácio cansou de esperar por Romero em CG 17 de maio de 2024 DESTAQUES: Rusga entre Assembleia e o Governo do Estado; PT tem decisão importante na segunda-feira; e Inácio cansou de esperar por Romero em CG DESTAQUES: Na reunião do PT, 90% defenderam candidatura própria; e representante da prefeitura acusa membro do governo no caso da poluição das praias 16 de maio de 2024 DESTAQUES: Na reunião do PT, 90% defenderam candidatura própria; e representante da prefeitura acusa membro do governo no caso da poluição das praias DESTAQUES: O candidato de João Azevêdo ao governo pode ser Hugo Motta; advogado João de Deus se filiou ao PSB em Cajazeiras; e Wilson Santiago voltou a titularidade na câmara dos deputados 9 de maio de 2024 DESTAQUES: O candidato de João Azevêdo ao governo pode ser Hugo Motta; advogado João de Deus se filiou ao PSB em Cajazeiras; e Wilson Santiago voltou a titularidade na câmara dos deputados DESTAQUES: Lula teria decidido por candidatura própria em João Pessoa e o escolhido foi Cartaxo; Romero não tem responsabilidade com Campina Grande?; e ALPB ‘desobriga’ presença de secretários de Educação 8 de maio de 2024 DESTAQUES: Lula teria decidido por candidatura própria em João Pessoa e o escolhido foi Cartaxo; Romero não tem responsabilidade com Campina Grande?; e ALPB ‘desobriga’ presença de secretários de Educação

Está no Hype

Go to Top