Relembre ataques de Moro a Bolsonaro, aliados de novo contra a eleição de Lula

Ex-juiz da Lava Jato acumula acusações de enfraquecimento de órgãos de combate à corrupção no atual governo

O senador eleito Sergio Moro (União Brasil) integrou a comitiva do presidente Jair Bolsonaro (PL) no debate promovido por Folha, UOL, TV Band e TV Cultura neste domingo (16).

No final do evento, Bolsonaro afirmou que seu antigo ministro da Justiça “foi dez” —Moro foi responsável por condenações contra o ex-presidente Lula (PT) depois anuladas pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Moro foi considerado parcial pelo tribunal.

O clima ameno entre os dois contrasta com o que vinha se desenhando desde o início de 2020, quando o ex-juiz da Lava Jato pediu demissão do ministério.

“Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro oficialmente e não consegui. Isso acabou. Eu não vou esperar f. minha família toda de sacanagem, ou amigo meu, porque eu não posso trocar alguém da segurança da ponta de linha que pertence à estrutura. Vai trocar. Se não puder trocar, troca o chefe dele. Não pode trocar o chefe, troca o ministro. E ponto final. Não estamos aqui para brincadeira”, disse.

Nos meses seguintes e até as eleições deste ano, Moro reafirmou as acusações de desmantelamento do combate à corrupção no governo Bolsonaro. Relembre abaixo essa e outras críticas do ex-juiz.

“Queria combater a corrupção, mas, para isso, eu precisava do apoio do governo e esse apoio me foi negado”

10.nov.2021 ao se filiar ao Podemos

“Quando vi meu trabalho boicotado e quando foi quebrada a promessa de que o governo combateria a corrupção, sem proteger quem quer que seja, continuar como ministro seria apenas uma farsa”

10.nov.2021 ao se filiar ao Podemos

“Chega de corrupção, chega de mensalão, chega de petrolão, chega de rachadinha, chega de orçamento secreto. Chega de querer levar vantagem em tudo e enganar o povo brasileiro”

10.nov.2021xao se filiar ao Podemos

“Não tenho condições de persistir aqui, sem condições de trabalho”

24.abr.2020 ao anunciar sua demissão do Ministério da Justiça

“[Houve] violação de uma promessa que me foi feita inicialmente de que eu teria uma carta branca”

24.abr.2020 ao anunciar sua demissão do Ministério da Justiça

“Não são aceitáveis indicações políticas”

24.abr.2020 sobre troca do comando da PF, ao pedir demissão
24.jan.2022 em entrevista ao Flow Podcast

“Admito que faltou da minha parte um salutar ceticismo quanto às promessas efetuadas pelo presidente eleito e quanto à própria boa vontade de Brasília para avançar no combate à corrupção. Mas eu não era um político treinado, e sim um juiz. Não estava acostumado à quebra de palavra”

Sergio Moro no livro ‘Contra o sistema da corrupção’ (Editora Primeira Pessoa), de 2021

“Teve uma decisão do Supremo que beneficiou o filho do presidente. (…) O problema é que essa liminar parava todas as investigações de lavagem de dinheiro no país. Parava tudo. E o presidente não queria que a gente mexesse nisso. Ele me falou assim: ‘Moro, se você não vai ajudar, não atrapalhe'”

24.jan.2022 em entrevista ao Flow Podcast

“O país está mal porque o presidente é ruim. Está na conta dele. Está na conta do Bolsonaro o desemprego, a inflação, a demora nas vacinas e essas atitudes malucas de ser contra a vacina, a favor da Covid, sei lá, não dá para entender isso. Está na conta dele o desmantelamento da corrupção e está na conta dele o Lula. O Lula só está voltando porque esse governo é muito ruim”

24.jan.2022 em entrevista ao Flow Podcast

“Ele pegou os caras que estavam com Lula e está tudo com ele hoje. E o cara vem falar que é contra a corrupção?”

24.jan.2022 em entrevista ao Flow Podcast

“Ele tinha, sim, traído tudo o que ele tinha prometido, tinha traído a população. Na minha opinião, porque ele não quer que tenha um sistema contra a corrupção que seja forte. Ele não quer esses instrumentos fortes, porque ele tem os problemas legais dele.”

24.jan.2022 em entrevista ao Flow Podcast

“O Bolsonaro enfraqueceu o combate à corrupção, dando oportunidade para essa revanche contra a Lava Jato. Me tirou do governo (…)”

24.jan.2022 em entrevista ao Flow Podcast

 

Mais Lidas

Destaques

PELO SIM, PELO NÃO

DESTAQUES: TRF-5 julgou o caso Cícero Lucena; Bruno Cunha Lima conseguiu vitória na Justiça; e operação ‘’Fundo do Poço’’ mira o antigo PROS, hoje Solidariedade 12 de junho de 2024 DESTAQUES: TRF-5 julgou o caso Cícero Lucena; Bruno Cunha Lima conseguiu vitória na Justiça; e operação ‘’Fundo do Poço’’ mira o antigo PROS, hoje Solidariedade DESTAQUES: Vereadores de JP estão envolvidos na Operação Mandare; Operação livro aberto chegou nos deputados; e Republicanos não deve aceitar “meia secretaria de educação’’ 11 de junho de 2024 DESTAQUES: Vereadores de JP estão envolvidos na Operação Mandare; Operação livro aberto chegou nos deputados; e Republicanos não deve aceitar "meia secretaria de educação’’ DESTAQUES: Quais nomes podem assumir as secretarias do Governo; Cartaxo deve ser o candidato do PT em JP; e Renata Nóbrega pode voltar para Secretaria de Saúde 10 de junho de 2024 DESTAQUES: Quais nomes podem assumir as secretarias do Governo; Cartaxo deve ser o candidato do PT em JP; e Renata Nóbrega pode voltar para Secretaria de Saúde DESTAQUES: Em 2026, a ALPB vai eleger um governador de forma indireta; Nominando vai ser o prefeito de JP por oito dias; e CMJP tem uma oposição definida e um novo líder 7 de junho de 2024 DESTAQUES: Em 2026, a ALPB vai eleger um governador de forma indireta; Nominando vai ser o prefeito de JP por oito dias; e CMJP tem uma oposição definida e um novo líder DESTAQUES: Quais nomes devem assumir as secretarias do governo; Republicanos vai exigir a vaga de vice de Jhony em CG; e Antônio Roberto revela qual seu destino 6 de junho de 2024 DESTAQUES: Quais nomes devem assumir as secretarias do governo; Republicanos vai exigir a vaga de vice de Jhony em CG; e Antônio Roberto revela qual seu destino

Está no Hype

Go to Top